ABC dos Alimentos: O Espinafre!

Nota Cooking: Contribuição do blog Na Aldeia com a Natureza! Original aqui. 🙂

Por vezes há dias em que está nevoeiro … A chuviscar e não apetece sair para a rua … Pois bem, hoje foi um desses dias … Estava um frio terrível e não apetecia mesmo nada sair …

Mas eis que uma vizinha, simpaticamente me veio bater à porta a entregar uns ovinhos (pois porque não tenho galinhas) e pediu-me se podia apanhar uns espinafres para o almoço!!

– Claro vizinha! Estás à vontade, leva o que quiseres… Olha vou apanhar contigo! (disse eu prontamente e lá fomos as duas de alguidar na mão e em amena cavaqueira apanhar os espinafritos!).

Cooking World - ABC dos Alimentos - Espinafres

Agora um pouco de sabedoria … Nunca é demais aprender, certo?

Os espinafres são uma fonte altamente concentrada de carotenóides, incluindo betacaroteno – a forma vegetal da vitamina A.

Também são uma fonte rica de luteína, um pigmento carotenóide com efeitos antioxidantes, e mais: vários estudos recentes sugerem que a ingestão regular de legumes verde-escuros pode conferir protecção contra muitos tipos de cancro.

Um estudo mais aprofundado revela que uma dieta rica em carotenos reduz o risco de decadência muscular relacionada com a idade, causa vulgar da cegueira nas pessoas idosas.

Este problema, provocado por uma deterioração da zona central da retina, parecia ter menos probabilidades de se desenvolver em pessoas que consumiam grandes quantidades de legumes de folha verde.

Os espinafres são também uma fonte útil de ácido fólico, muito recomendado durante a gravidez para prevenção da espinha bífida.

Do mesmo modo, a sabedoria da medicina tradicional revela-se através de algumas utilizações dos espinafres, como nos casos de hipertensão arterial, anemia e prisão de ventre.

Na verdade, este legume é uma boa fonte de potássio, facto hoje reconhecido pelos médicos como elemento importante na regulação da tensão arterial.

O MITO DO POPEYE

Durante muito tempo, pensou-se que os espinafres eram particularmente ricos em ferro; os pais obrigavam as crianças a comer espinafres, convencidos de que assim as tornavam fortes e saudáveis.

Para esta imagem dos espinafres como legumes super-saudáveis contribuiu uma personagem de desenhos animados: quem não se recorda do Popeye, que engolia de um só trago latas de espinafres para conseguir um aumento instantâneo de força muscular?

Parece que, afinal, esta crença se deve a um simples erro matemático de uma analista alimentar quando calculava o teor de ferro dos espinafres; uma vírgula colocada no local errado levou muitas pessoas a pensar que os espinafres continham dez vezes mais ferro do que realmente têm.

Efectivamente, o organismo absorve maior percentagem do ferro presente nos espinafres se estes forem consumidos com alimentos que contenham vitamina C, como fruta ou tomate.

ESPINAFRES CRUS

Muitas pessoas não gostam do sabor forte e da consistência mole dos espinafres cozinhados. Experimente utilizá-los crus, já que se contam entre as verduras para salada mais nutritivas.

Pode fazer uma grande variedade de saladas substituindo a alface por folhas tenras de espinafres: uma sugestão será misturar espinafres crus, bacon grelhado, abacate e cogumelos às fatias.

INCONVENIENTES

Os benefícios nutricionais dos espinafres são contrariados pela sua elevada concentração de ácido oxálico.

Este combina-se com o ferro e cálcio dos espinafres, reduzindo a sua absorção – a quantidade de ferro que pode ser absorvida é consideravelmente diminuída, e apenas uma fracção do teor de cálcio do espinafre pode ser utilizado pelo organismo.

Isto levou a que se afirmasse que comer espinafres afectaria a absorção do cálcio em geral – mas estudos efectuados revelaram que teriam de ser ingeridas quantidades maciças deste legume para que a interferência do ácido oxálico se tornasse num problema grave.

Comer espinafres ao mesmo tempo que fornece suplementos de vitamina C, pode agravar a formação de cálculos, ou pedras, de oxalato nos rins e na bexiga.

Estes surgem devido à acumulação de depósitos de oxalato em pessoas mais susceptíveis.

Os espinafres também podem conter níveis elevados de nitratos, tema de muitos debates recentes no seio da Comunidade Europeia.

Para a sugestão de hoje trago uma receita inventada por mim em parte, porque a outra já vocês conhecem de cor e salteado. Então cá vamos …

Peguei em dois filetes de peixe gato, que é o que gostam cá em casa, e cortei em duas metades fazendo 4 pedaços, cortei 4 folhas de alumínio de forma a que pudesse abraçar as postas, e comecei a inventar, coloquei azeite, cebola, caldo de peixe esmigalhado, as postas por cima, orégãos, sal, pimenta e mel, mais um pinguinho de azeite e voilá … fechei e levei ao forno perto de 20m.

Todos os ingredientes que uso são da minha horta ou de hortas vizinhas, salvo raras excepções quando compro nos hipermercados, mas aí aviso 😀

De seguida fiz esparregado com os espinafritos que foram cozidos a vapor para manter todas as vitaminas necessárias, e confeccionados do modo tradicional em que usei, alhos, azeite, farinha, vinagre e sal.

Cooking World - ABC dos Alimentos - Espinafres 2

E o resultado foi este … acompanhei com um suminho de laranja também apanhadas directamente da laranjeira do quintal!!

O molho é do mel, não é da gordura pois sou um pouco contra a comidas muito gordurosas. Ficou divinal …

Espero que tenham gostado de mais uma história da Aldeia com a Natureza 😀

Nota da autora: Toda a informação foi retirada através de vários sites na internet!

(Imagem cedida pela autora) Aladiah – Na Aldeia com a Natureza.

ABC dos Alimentos: Manjericão em Versão Rápida!

Nota Cooking: Contribuição do Paulo Herculano, autor do blog The Wild Kitchen!

O manjericão tem um forte sabor a limão e a jasmin e é ligeiramente picante. É óptimo em saladas, sopas, pratos de massa, marinadas e guisados.

Benefícios para a Saúde:

  • Acalma os Espasmos Digestivos
  • Acção Anti-inflamatória
  • Benefícios Cardiovasculares
  • Dores de Cabeça (associadas a má digestão)

Paulo Herculano – The Wild Kitchen.

ABC dos Alimentos: A Hortelã

Nota Cooking: Contribuição do blog Na Aldeia com a Natureza! Original aqui. 🙂

Hoje trago a Hortelã, muito característica pelo seu aroma e sabor e por aromatizar muitas comidas, desde a Sopa da Panela, ao Arroz, passando pela Canja e como hoje vou dizer até para um cházinho calmante!! Senão vejamos…

Cooking World - ABCdos Alimentos - Hortela

A hortelã é uma planta herbácea que chega a tingir 80 cm de altura, com folhas ovais e serrilhadas, de um verde-claro, e flores de corola violeta; é muito utilizada como tempero em culinária, como aromatizante em certos produtos alimentares, ou para a extracção do seu óleo essencial. Por vezes, é simplesmente cultivada como planta ornamental.

É também utilizada como planta medicinal, estimulante, estomacal, muito usada nos casos de flatulências, dispepsias nervosas, empregado nas palpitações e tremores nervosos, vómitos, cólicas uterinas, útil nos catarros brônquicos facilitando a expectoração.

O chá feito de hortelã é um óptimo calmante.

Como já foi referido a hortelã é um excelente digestivo. E como tal, o chá de hortelã, após as refeições, pode ser muito benéfico para quem sofre de dores no estomago. O chá forte alivia as cólicas menstruais e intestinais.

Para quem tem a pele oleosa, experimente passar o chá forte de hortelã com um algodão, após a limpeza.

Como fazer?

Eu explico!!

1 colher de sopa de folhas de hortelã miúdas e uma chávena de água; coloque a hortelã num recipiente e deite sobre ela a água a ferver. Tape e deixe em infusão durante 5 a 10 minutos. Coe o chá, adoce se necessário, e tome ainda quente.

Como uma curiosidade mais apimentada…

Os árabes foram os primeiros que viram nesta erva um poder afrodisíaco, pois estavam convencidos de que se usava para tratar a impotência e a diminuição da libido.

O sabor desta erva varia conforme a sua qualidade, e é intenso e refrescante.

Outras indicações

A hortelã pimenta tem um efeito benéfico nos casos de síndroma do cólon irritável e doença de Crohn. Reduz o excesso de pêlos (hirsutismo) em homens e mulheres, podendo ser conjugada, internamente, com a salva, anho casto ou alcaçuz, e com uma aplicação externa de calêndula.

Sob a forma de óleo essencial, utiliza-se: internamente, no tratamento de catarro pulmonar e inflamações na boca; e, externamente, em dores, distensões musculares, entorses e neuralgias, produzindo uma sensação de frio.

Para hoje, e sempre com produtos da minha horta incluídos, recomendo um Arrozinho de Hortelã com Cordon Bleu com queijo derretido por cima aromatizado com Oregão e acompanhado de uma Salada de Alface.

(Imagem cedida pela autora) Aladiah – Na Aldeia com a Natureza.

ABC dos Alimentos: Pimenta Preta em Versão Rápida!

Nota Cooking: Contribuição do Paulo Herculano, autor do blog The Wild Kitchen!

Cooking World - ABC dos Alimentos - Pimenta PretaA pimenta preta (Piper negrum) é o fruto, ainda imaturo, da pimenteira. Também conhecida como pimenta-redonda e, no Brasil, como pimenta-do-reino, é uma das mais antigas especiarias conhecidas. Os seus grãos, secos e moídos, são muito usados na culinária de diversos países.

Com um sabor acre e picante proveniente de um composto químico chamado piperina, a pimenta preta serve para temperar sopas, guisados, estugados, saladas, peixes e marisco.

Benefícios para a Saúde:

● Melhora a Digestão

● Promove a Saúde Intestinal

Fonte: Wikipédia.

Paulo Herculano – The Wild Kitchen.

ABC dos Alimentos: Mogango

Nota Cooking: Contribuição do blog Na Aldeia com a Natureza! Original aqui. 🙂

Hoje decidi ir buscar um Mogango… Sim está bem escrito, é Mogango… que é muito diferente de Abóbora!!

Ou seja, um Mogango é de polpa alaranjada e casca canelada, dura e raiada de amarelo quando maduro. As plantas são de hábito rasteiro e crescimento indeterminado, com ciclo vegetativo de 80 a 90 dias. Os frutos são de cor verde-escuro com estrias de amarelo vivo a bege. A forma do fruto é globular, relativamente alargada e em geral com gomos bem vincados que lhe conferem uma forma canelada, com um peso entre 2 e 3 kg.

Mais ou menos assim como o que eu fui buscar:

Cooking World - Mogango 1

As abóboras são mais brancas por dentro e por fora mais verdes 😀

Nos que respeita aos Mogangos podemos fazer várias coisas, existem inúmeras receitas salgadas e doces. Eu hoje escolhi uma receita salgada, muito boa e que no Alentejo e aqui na Aldeia se come muito, que é Feijão com Mogango aromatizado com Coentros.

Depois de limpo foi altura de o cortar aos pedaços, uma tarefa um pouco complicada porque ele (Mogango) tem a casca muito dura além de deixar as mãos meio peganhentas.

Depois de arranjado e lavado foi outra vez altura de ir à horta buscar coentros para que quando se colocassem na comida tivessem um ar fresco e acabados de apanhar!

Da horta ainda utilizei alhos, o feijão e o louro. Depois veio o resto, o azeite, o sal e o pimentão encarnado ou colorau como lhe quiserem chamar!!

Coloquei então o azeite, os alhos, o louro a fritar um pouco, juntei o Mogango, água (pouca) e deixei levantar fervura … Após ter levantado fervura juntei o feijão, o sal e o colorau.

Quando estava tudo cozido coloquei então os coentros migados e mexi para que ao ferver toda a comida tomasse o gostinho dos mesmos.

E consegui uma refeição prática, económica e muito saborosa… Feijão com Mogango!!

Cooking World - Mogango 2

Por aqui existe quem coma esta iguaria com sopas de pão, pois no Alentejo ainda hoje se remonta aos tempos antigos de fome e pobreza e junta-se as sopas de pão. Mas actualmente é muito comum e já se torna quase um hábito colocar sopas de pão em qualquer comida denominada comida de caldo!!

Espero que tenham gostado de mais uma história da Aldeia com a Natureza…

(Imagem cedida pela autora) Aladiah – Na Aldeia com a Natureza.

ABC dos Alimentos: O Louro em Versão Rápida

Nota Cooking: Contribuição do Paulo Herculano, autor do blog The Wild Kitchen!

Cooking World - ABC dos ALimentos - LouroO loureiro ou louro (Laurus nobilis) é uma árvore do gênero Laurus da família botânica das Lauraceae.

Frescas ou secas, as folhas de louro temperam caldos de peixe, sopas, refogados, guisados, marinadas, caris, pratos de carne, entre outros.

A medicina popular indica o chá das suas folhas em caso de problemas com a digestão.

Fonte: Wikipédia.

Paulo Herculano – The Wild Kitchen.